sábado, 27 de outubro de 2012

Tá vagando pelo Facebook. E percebe-se que tem muitas pessoas que não enxergam o óbvio.

O brasileiro é assim mesmo. Aqui na região tem uma rodovia federal duplicada que é a BR 386. Como no perímetro urbano aconteciam muitos acidentes por excesso de velocidade, foi determinado 60 km/h. TODO MUNDO andava a 80, 100 por hora e reclamava das multas. Depois de alguma pressão popular foi mudado pra 80km/h. Agora o pessoal tá andando a 100, 120... e continuam reclamando das multas. É muita cretinice reclamar da tal indústria da multa. Cidadão, não quer ser multado? Anda dentro do limite. É fácil! Se a tal de Canabis fosse liberada geral, as pessoas cheirariam cocaína nas paradas de ônibus, tenho certeza. Já vi crianças fumando crack em paradas de ônibus em plena luz do dia e as "otoridades" parecem fechar os olhos.. agora, dá uma chinelado no teu filho por causa de uma travessura pra ver o que acontece.

E quanto as armas? Só marginal pode ter. Cidadão de bem tem que ser um cordeirinho e deixar um bostinha de 17 anos roubar, bater e ameaçar a família de gente honesta.
Categories:

1 comentários:

Marisa disse...

Estou com um dilema Shakespeareano, em seu Hamlet: ter ou não ter uma arma em casa. Nesta madrugada de sábado, pelas 4h, já acordada,ouvi um barulho, acendi a luz, chamei meu marido. Vimos um dos bandidinhos passar carregando o produto de arrombamento no Motor Home e em peças junto à garagem. Depois descobrimos outros estragos ( muitos). O que fazer? Cão de guarda doente, e nós, sem nem um canivete, muito menos revólver. Chamar a polícia? Os meliantes pularam a cerca e se foram assobiando. E se tivéssemos arma, enfrentaríamos? E se eles também tivessem? Dar tiros para assustar? Eis a questão.Foi a primeira vez. Estamos nos sentindo violentados. Quem já passou por isso sabe a insegurança que gera. Bens materiais são repostos. Mas a nossa vida, ou agressões corporais?





Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!