quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O elenco da série ainda unido no final dos anos 70

Acho que vou dar um tempo nesse tal de Orkut 2.0 (Popularmente conhecido como Facebook). 

Cansei de ver meninas ainda crianças vestidas de mulher fazendo beicinho pra tirar foto na frente do espelho, cansei de ver pirralhos tirando foto sem camisa, mostrando as cuecas e fazendo cara de mau, cansei de ver mulheres feitas esperando só chegar o final de semana para soltar a franga na balada...

E como tem gente sem noção!!! 
Quem posta uma foto de costas na piscina? Ou que escreve : "Hoje fui na padaria e comprei um croissant. É uma delícia e agora estou comendo o croissant e assistindo Malhação".

Benzadeus!!!!




Dê para ela essa mesa cheinha....

Se você torce o nariz para filmes musicais, assista Hair, esse é um caso a parte. Além de muita música boa dos anos 60, ele conta a história de uma amizade tão grande e um amor pelo próximo que foi mais longe do que todos previam.

 Esse é o clip de umas mais conhecidas músicas do filme: Aquarius by Melba Moore:

Nesse clip, a hora da verdade. O substituto do soldado é convocado para a guerra no lugar do amigo.

Hair conta a história da tribo, um grupo de hippies cabeludos politicamente ativos da Era de Aquário, que levam uma vida boêmia em Nova York e lutam contra o alistamento militar para o Vietnã. Claude, seu bom amigo Berger, sua amiga Sheila e outros amigos hippies, tentam equilibrar suas jovens vidas, amores e sexo livre com a rebelião pessoal contra seus pais e a sociedade conservadora norte-americana. Em última análise, Claude precisa decidir entre rasgar seu cartão de alistamento como seus amigos fizeram ou sucumbir à pressão de seus parentes (e da América conservadora) e servir no Vietnã, comprometendo seus princípios pacifistas e arriscando sua vida.

 Hair foi levado ao cinema em 1979 pelo diretor tcheco Milos Forman, com roteiro de Michael Weller e coreografado por Twyla Tharp. No elenco, nomes como John Savage, Treat Williams, Beverly D'Angelo e dois integrantes do musical original da Broadway, Melba Moore e Rony Dyson. Filmado em grande parte no Central Park e no Washington Square Park, em Nova York, o filme difere em muitos pontos do musical original, a começar pela eliminação de diversas músicas constantes na peça.

 Leia mais sobre o filme e as montagens de teatro de Hair no Wikipedia
Em 1922


Em 2012

Então...

Para você que é fã do Excel, atalhos de teclado de F1 a F12 pra agilizar seu trabalho

As Teclas e ao lado a Descrição da função

  • F1 - Exibe o painel de tarefas da Ajuda do Microsoft Office Excel.
  • CTRL+F1 exibe ou oculta a Faixa de Opções, um componente da interface de usuário do Microsoft Office Fluent
  • ALT+F1 - Cria um gráfico dos dados no intervalo atual. 
  • ALT+SHIFT+F1 - Insere uma nova planilha. 
  • F2  - Edita a célula ativa e posiciona o ponto de inserção no fim do conteúdo da célula. Ele também move o ponto de inserção para a Barra de Fórmulas para edição em uma célula desativada.
  • SHIFT+F2  - Adiciona ou edita um comentário de célula. 
  • CTRL+F2  - Exibe a janela Visualizar Impressão. 
  • F3  - Exibe a caixa de diálogo Colar Nome. 
  •  SHIFT+F3  - Exibe a caixa de diálogo Inserir Função. 
  • F4  - Repete o último comando ou ação, se possível. 
  •  CTRL+F4  - Fecha a janela da pasta de trabalho selecionada. 
  • F5  - Exibe a caixa de diálogo Ir para. 
  • CTRL+F5  - Restaura o tamanho da janela da pasta de trabalho selecionada. 
  • F6 - Alterna entre a planilha, a Faixa de Opções, o painel de tarefas e os controles de zoom. Em uma planilha que foi dividida (menu Exibir, comando Gerenciar Esta Janela, Congelar Painéis, Dividir Janela), F6 inclui os painéis divididos ao alternar entre painéis e a área da Faixa de Opções.
  • SHIFT+F6  - Alterna entre a planilha, os controles de zoom, o painel de tarefas e a Faixa de Opções. 
  • CTRL+F6  - Alterna para a próxima janela da pasta de trabalho quando mais de uma janela da pasta de trabalho é aberta. 
  • F7  - Exibe a caixa de diálogo Verificar ortografia para verificar a ortografia na planilha ativa ou no intervalo selecionado. 
  • CTRL+F7 - Executa o comando Mover na janela da pasta de trabalho quando ela não está maximizada. Use as teclas de direção para mover a janela e, quando terminar, pressione ENTER ou ESC para cancelar. 
  • F8  - Ativa ou desativa o modo estendido. Nesse modo, Seleção Estendida aparece na linha de status e as teclas de direção estendem a seleção. 
  •  SHIFT+F8  - Permite adicionar uma célula não adjacente ou um intervalo a uma seleção de células, utilizando as teclas de direção. 
  • CTRL+F8  - Executa o comando Tamanho (no menu Controle da janela da pasta de trabalho), quando uma pasta de trabalho não está maximizada. 
  • ALT+F8  - Exibe a caixa de diálogo Macro para criar, executar, editar ou excluir uma macro. 
  • F9  - Calcula todas as planilhas em todas as pastas de trabalho abertas. 
  • SHIFT+F9  - Calcula a planilha ativa. 
  • CTRL+ALT+F9  - Calcula todas as planilhas em todas as pastas de trabalho abertas, independentemente de elas terem sido ou não alteradas desde o último cálculo. 
  • CTRL+ALT+SHIFT+F9 verifica novamente as fórmulas dependentes e depois calcula todas as células em todas as pastas de trabalho abertas, inclusive as células que não estão marcadas para serem calculadas. 
  • CTRL+F9  - Minimiza a janela da pasta de trabalho para um ícone. 
  • F10  - Ativa e desativa as dicas de tecla. 
  • SHIFT+F10  - Exibe o menu de atalho para um item selecionado. 
  • ALT+SHIFT+F10  - Exibe o menu ou a mensagem de uma marca inteligente. Se mais de uma marca inteligente estiver presente, alterna para a marca inteligente seguinte e exibe seu menu ou sua mensagem. 
  • CTRL+F10  - Maximiza ou restaura a janela da pasta de trabalho selecionada. 
  • F11  - Cria um gráfico dos dados no intervalo selecionado. 
  •  SHIFT+F11  - Insere uma nova planilha. 
  • ALT+F11  - Abre o Editor do Microsoft Visual Basic, no qual você pode criar uma macro utilizando o VBA (Visual Basic for Applications). 
  • F12  - Exibe a caixa de diálogo Salvar Como.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Muito show essa música do Elton John...



Eu acredito
Eu acredito no amor e isso é tudo o que temos
O amor não tem fronteiras, não custa nada sentir 
A guerra faz dinheiro e o câncer dorme
Admitir a derrota no meu pai, isso significa alguma coisa para mim
Igrejas e ditadores, políticos e papéis
Tudo se esfarela mais cedo ou mais tarde
Mas no amor, eu acredito no amor

Eu acredito no amor e isso é tudo o que temos
Amor não tem fronteiras, sem limites a cruzar
Amor é simples, ignora raças
Aqueles que pensam diferente é início da doença
Pai e filho tem amor e armas
Famílias juntas matam alguém
Sem amor, eu acredito no amor

Sem amor eu não acreditaria em nada que vive e respira
Sem amor eu não detestaria
Eu não acreditaria no direito de estar aqui
Sem amor eu não acreditaria
Eu não poderia acreditar em você
E eu não acreditaria em mim
Sem amor

Eu acredito no amor
Num belo dia de sol, eu saí de um supermercado onde acabara de sacar um dinheiro, uma cigana bate no vidro do carro pedindo um dinheiro pra comer alguma coisa. Detalhe: Ela estava grávida. Claro que eu não neguei. Dei 2 reais.. (sim, eu sei que é pouco, mas não tenho um árvore de dinheiro).

Ela ficou muito agradecida e pediu uma nota de dez reais para fazer uma reza e me proteger "de todos os males que me cercavam". Jurou que depois me devolveria os dez reais. Eu dei e ela iniciou umas rezas com palavras desconexas, achei que ela tava num transe.. No final, a pobre notinha estava toda amassada, coitada, pior que dinheiro de bêbado.

Quando eu pedi a nota de volta..adivinhe... ela disse que se me devolvesse a nota, todo o mal voltaria pra mim. Eu como não acredito bulhufas nessas tranqueiras, fiquei discutindo com a moça e chamando atenção de todo mundo. Até que desisti e fui embora, bufando de raiva. Afinal, perdi 12 reais na brincadeira.

Mas foi bom porque depois daquele dia, nunca mais dei um centavo pra ninguém...

Agora eu sou curto e grosso:

- Um homem de uns 25 anos um dia me parou na rua e pediu umas moedas, eu nem dei bola.
Aí ele, indignado, berrou: - "Eu podia tá roubando..!!
Eu respondi na lata: - "Mas também podia tá trabalhando, porque na região, não trabalha quem não quer!!"

Outro dia cheguei no prédio que trabalho super atrasado, uma senhora me parou na porta do prédio:
- "Moço, não tem uma moeda pra me dar?"
- "Não tenho, não!" e subi as escadas correndo.
Na saída ela bloqueou minha passagem:
- "Moço, não tem mesmo nenhuma moedinha pra me dar?"
Eu respondi:
-"Não tenho moedas comigo, mas porque eu preciso trabalhar pelas moedas e vocês não?! Porque pra vocês basta pedir e ter dinheiro na mão e eu preciso trabalhar por ele?"

Sim, eu sei que vou pro inferno quando morrer, mas cansei de ser ludibriado por pessoas que querem tudo fácil.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Você pensa que é só na sua família que tem gente com nome estranho? Que nada!! 
Veja esses nomes das crianças de celebridades ....É vero..pode acreditar....



























Postado por Juremir Machado
em 17 de janeiro de 2012 em sua  coluna no Correio do Povo clique para ler na íntegra

O BBB é o programa mais vagabundo da história da televisão brasileira.
Uma façanha dado o histórico nacional, o que já se via nos tempos da Dercy. O BBB piora a cada ano. Destruiu um grande repórter, Pedro Bial.

Quem vê não gosta que seu programa seja criticado, pois não quer se sentir estúpido. Entramos na era das inversões espertinhas. Em nome da tolerância e do respeito ao gosto do outro, a crítica frontal deveria ser silenciada.

É o mecanismo da intimidação. Chantagem do consumidor. BBB é Baita Baixaria Brasileira.
Tem reality-show de todo tipo: ruim, médio e bom. O BBB é o ruim que se aprimora. Fica sempre pior.
Só o Brasil chegou a 12 edições do BB em rede nacional aberta e em horário nobre. Sintoma do quanto gostamos de estimular os baixos instintos e de transformar nossos cérebros em ervilha.

O caso do susposto estupro no BBB12, que levou a polícia aos domínios da Rede Globo e resultou na expulsão do tal Daniel, suspeito de ter abusado da colega de baixaria – inerte, inconsciente ou seja lá o que for –, revela um estado de coisas.
O gongo deveria soar.

País com alguma cultura acima da avidez mercantil não tem doze edições de BBB. Não tem UFC. Não tem estupro em rede nacional. É preconceito imaginar que alguns setores da sociedade só se divertem com chinelagem.

Tem mais.

Na chinelagem, é a sua lei, sempre tem mais. Especula-se que o estupro do BBB12 seja um golpe. Um golpe de marketing.
É fantástico!
O estupro em rede nacional como estratégia de marketing. Parte da humanidade caminha para voltar a ser primata. Pagar para ver pessoas dormindo em tempo real é algo jamais imaginado por nossos melhores ficcionistas.
 Quando o lazer termina em suspeita de estupro em rede nacional, diante dos olhos de milhões, é o sinal vermelho. Sintoma de uma cultura que perdeu todos os seus limites.

Moralismo? Elitismo? Pose de intelectualzinho? Cada um que rotule como quiser.

O estupro do BBB12 é a cara de um certo Brasil que não quer se tornar adulto.

Brasil da chinelagem capaz de abraçar todas as classes sociais. Brasil que se atola e gosta. Brasil que não se constrange com nada. Brasil que defende o seu direito de chafurdar na lama.

O suposto estupro do BBB12 é o ai se eu te pego que se materializou. Quando se brinca com a fantasia ao extremo, flertando com o abismo, o salto acaba por acontecer. Não precisa existir relação direta. O imaginário é o resultado de saltos lógicos.

Uma cultura da lama acaba por enlamear parte da população.
 O BBB12 é o pior do Brasil. O Brasil que quer grana, fama e sexo de qualquer jeito.
Triunfo absoluto da chinelagem numa época em que todo gosto se tornou legítimo e toda crítica a um gosto se tornou preconceito.

O que virá depois do estupro?
Um assassinato ao vivo?
Brasil Bem Bagaço!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Pelo menos 14 cidades brasileiras estão entre as mais violentas do mundo. A conclusão é do estudo feito pela organização não governamental (ONG) mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal divulgado dia 13 de janeiro de 2012. 


Especialistas da entidade listaram as 50 cidades mais violentas em todo mundo. O topo da lista é ocupado pela cidade de San Pedro Sula, em Honduras, com uma taxa de 158.87 homicídios para um grupo de 100 mil habitantes. Em segundo lugar, está Juárez, no México, com uma taxa de 147.77.


No Brasil, Maceió, capital alagoana, aparece como a mais violenta ocupando o terceiro lugar no ranking – com uma taxa de 135.26 homicídios para cada 100 mil habitantes.


Depois da capital alagoana estão Belém (PA) – em 10o lugar no ranking, com uma taxa de 78.08 homicídios para cada 100 mil habitantes;  Vitória (ES), em 17o lugar, com taxa de 67.82; Salvador (BA), em 22o na lista, com 56.98 e Manaus (AM), em 26o, com 51.21.
Também são definidas como violentas as cidades de São Luís (MA), em 27o lugar no estudo, com taxa de 50.85 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, João Pessoa (PB), em 29o, com 48.64; Cuiabá (MT), em 31o na lista, com taxa de 48.32; Recife (PE), em 32o lugar, com taxa de 48.23, Macapá (AP), em 36o, com 45.08; Fortaleza (CE), em 37o, com 42.90; Curitiba (PR), em 39o na lista, com 38.09; Goiânia (GO), 40o, com 37.17 e Belo Horizonte (MG), em 45o no ranking das cidades mais violentas, com taxa de 34.40 homicídios para cada 100 mil habitantes.
E os nossos ilustres deputados preocupadíssimos com a Lei da Palmada que proíbe uma palmada numa bundinha fofa de fraldas.
Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!