segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Ontem mesmo eu estava falando sobre o filme Blade Runner de 1982 e hoje posto o trailer no novo filme previsto para estrear em 5 de Outubro desse ano. Falta bastante tempo, mas daqui há pouco está aí.

Pra quem não assistiu o primeiro Blade Runner aqui vai um resuminho pra não estragar o filme, que você ainda deve assistir, se ainda não o fez;
ATENÇÃO!AQUI TEM SPOILER!

Blade Runner é um filme de 1982 mas que se passa em 2019.

Nesse ano de 2019, a cidade de Los Angeles é super populosa, super cosmopolita e chove todos os dias. A cidade é regada por chuva tóxica e está fria e escura. O tempo está descontrolado e a Terra está super poluída. Para fugir dessa terra pós catastrófica, cientistas criaram colônias em outros planetas e também criaram robôs muito parecidos com humanos para trabalhar em locais insalubres e tóxicos preparando caminho para os humanos. Esses robôs são mais fortes e mais inteligentes que os humanos. Para prevenir o domínio dos robôs (chamados no filme de Replicantes), os criadores deram apenas quatro anos de vida (ou duração) para eles. Um grupo de cinco replicantes se rebelam e voltam para a Terra procurando o criador para que ele lhes dê mais tempo de vida. Para evitar esse descontrole, existem os Blade Runner, forças especiais que caçam os replicantes. Um deles é Rick Deckard ( Harisson Ford) que é encarregado de procurar e eliminar os replicantes.

O que se percebe é que os robôs inteligentes vão ficando mais humanos e o policial vai ficando mais violento e impiedoso. O melhor fica para o final quando... acho melhor não contar o final.

O filme tem a participação de grande elenco e muitos efeitos especiais e a trilha sonora maravilhosa, espetacular, brilhante e perfeita do Vangelis.

Algumas frases do filme eu anotei em minha agenda:


Eu vi coisas que vocês nunca acreditariam. Naves de ataques em chamas perto da borda de Orion. Vi a luz do farol cintilar no escuro, na Comporta Tannhauser. Todos esses momentos se perderão no tempo como lágrimas na chuva. Hora de morrer.

Eu quero mais vida, pai!




Eu fiz. . . coisas questionáveis. Nada do que o Deus da biomecânica impedisse de chegar ao céu.

Eu não sei porque ele salvou a minha vida. Talvez naqueles últimos momentos ele amava a vida que ele jamais teve. Não apenas a sua vida - a vida de ninguém, a minha vida. Tudo o que ele queria eram as mesmas respostas que o resto de nós quer. De onde foi que eu vim? Para onde vou? Quanto tempo eu tenho? Tudo que eu podia fazer era sentar lá e vê-lo morrer.



Esperando ansiosamente pelo novo filme



0 comentários:

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!