quinta-feira, 26 de março de 2020

Hoje vendo tanta gente discutindo politica e muitos ou a maioria querendo ter razão, me fez pensar sobre o modo que os professores trabalham as crianças desde a mais tenra idade até a entrada no curso superior, ou principalmente nos cursos superiores.



Vejo meninas de vinte e poucos anos defendendo o indefensável, atacando o presidente da República com palavrões e xingamentos nunca ouvidos em outros tempos.

Ninguém está cem por cento certo o tempo todo, tampouco errado o tempo todo, mas querendo ou não, goste ou não, Bolsonaro é o presidente do Brasil e por isso merece respeito.

Eu gostaria de participar de uma aula apenas, de um curso das exatas para saber o que acontece l dentro. Não vamos generalizar, que também é bobagem, mas é inegável a doutrinação ou disseminação de ódio contra o atual governo.

Com essa crise do Corona virus, todo mundo tem a explicação perfeita para a crise e todo mundo tem a solução perfeita. "E é logico que a minha ideia deve prevalecer, senão é uma ditadura."

Onde estavam esses adolescentes quando explodiu o H1N1 em 2009?
Eu respondo: Estavam no sofá em casa de pijamas, tomando iogurte e assistindo a TV Globinho..

E o que fez eles terem essas atitudes tão egocêntricas que tem hoje?

A resposta poderia ser uma série de fatores.
Educação em casa pode ser uma delas, a grande maioria desses adolescentes nunca trabalhou antes dos 18 ou 20 anos, teve tudo o que queria porque mamãe e papai não deixavam faltar nada, então eles eles tiveram uma vida de certa forma enfadonha, porque não conquistaram nada por si só, mas tudo lhes foi jogado no colo.

Quando eles entram num curso superior com um professor esquerdista com sede de doutrinação dos mais jovens, essa criançada é um deleite. E pior. esses professores romantizam as lutas de classe, as guerrilhas dos anos 60 e 70, elevam criminosos a honrarias de herois e conquistam a molecada.

Tá bom, mas por que os professores odeiam os militares?

Vamos para um pouco de história:
Em 1964, os militares descobriram que João Goulart (genro do Brizola), estava flertando com a União Soviética e tentavam instaurar o comunismo no Brasil. Varias viagens de Jango já haviam acontecido à União Soviética e comitivas da URRS já tinham visitado o Brasil na época. Então acendeu a luz vermelha e os militares tomaram o poder antes que fosse tarde demais.

Então descobriram que os professores, jornalistas, escritores, filósofos e mais algumas classes de "intelectuais" tinham grande benesses ás custas do povo. Como por exemplo, isenção total de juros em financiamento da casa própria, isenção de IR, 50% de desconto em passagens aéreas e shows e muitas outras regalias. Até aí, tudo bem até, porque professor tem uma função bastante relevante na construção da estrutura da sociedade.

Maaas como aqui é Brasil, descobriram também que algumas universidades eram verdadeiras fábricas de diplomas de jornalismo, era só pagar e desfrutar de tudo que o suado dinheiro dos contribuintes poderia prover. Até padres e bispos, amigos empresários, era tudo jornalista na época.

Então decretaram nula essa lei do Getúlio Vargas. E o que Getúlio Vargas pretendeu em ceder essas regalias? Apoio. Tendo o apoio da midia, dos professores e dos jornalistas, ele seria o melhor presidente que o Brasil já teve.

Mas então, os militares não foram burros em cortar essas regalias?

Pode ter sido um erro em não passar um pente fino, mas a ideia deles era ficar no poder até o final da gestão de Castello Branco, mas quando viram a real situação e perigo que o Brasil enfrentava, decidiram continuar e o resto da história a gente sabe, ficaram até 1984 quando teve a abertura politica e o general Figueiredo foi o ultimo presidente militar.

Muitos jornalistas e escritores e professores levaram anos para se recuperar financeiramente do baque e se criou a partir daí uma legião de professores e jornalistas que formaram mais professores e mais jornalistas, que foram dar aulas em universidades e que vão formar ainda muitos jornalistas.

Quando entra para uma universidade, um jovem sem experiência politica, nem profissional, o professor cabeludo de 40 anos que ainda mora com os pais, defensor de Che, arregala os olhos e os coitadinhos caem na doutrinação nefasta que destrói muitos cérebros e alguns poderiam ser bem brilhantes.

Percebo isso quando vejo jovens sensatos e maduros pela idade, ao saírem da faculdade totalmente desfigurados intelectualmente.

 Eu já pensei em várias situações: O que fizeram contigo, menina?

Não é á toa  que não temos nenhum prêmio Nobel.
Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!